domingo, 31 de julho de 2011

Afinal, os Smurfs eram os 'Strunfs'?

Os Smurfs chegam ao cinema, em formato animação (divulgação Columbia)

Para quem duvida de alguém que era criança ou adolescente nos anos 1970 e que afirma que os Smurfs eram os Strunfs, a resposta é sim: na época de lançamento no Brasil, em 1975, Les Schtroumpfs (título original) foram traduzidos para o português como Strunfs.

As histórias em quadrinhos eram publicadas pela Editora Vecchi.

Posteriormente, alguns anos após o fim da publicação, surgiram os desenhos animados dos duendezinhos azuis e, nos EUA - e também no Brasil, e os personagens ganharam um novo nome, os Strunfs.

Confira a história completa da mudança no site UNIVERSO HQ

Os Smurs - O Filme estreia na próxima sexta-feira, dia 5 de agosto. Acesse o site oficial do filme.

sábado, 23 de julho de 2011

Santos - Ao vivo - Pca do Sesc


Bonde do "peixe" em 23/07/2011

Um dos bondes turístico de Santos foi caracterizado com as cores do Santos Futebol Clube.
Published with Blogger-droid v1.7.4

Trolebus de Santos na praça Ruy Barbosa em 23/07/2011

Um vídeo do Trolebus Mafersa - com motorista em treinamento, na praça Ruy Barbosa.
Published with Blogger-droid v1.7.4

terça-feira, 19 de julho de 2011

Fotos da praia de Santos 15.07.2011



Duas fotos com alta resolução da praia do Boqueirão, em Santos. Uso livre, desde que citada a fonte (muitobem.tv).

Free pictures (please mention muitobem.tv)

domingo, 17 de julho de 2011

Um bonde especial em São Vicente

É bom saber que existem muitas pessoas que gostam de bondes e trólebus, e que procuram de alguma forma preservar sua história e, ao mesmo tempo, garantir o futuro desses sistemas elétricos de transportes.

Um bom exemplo disso é o que  Márcio Alexandre de Lucena construiu em sua casa, no bairro de Samaritá, área continental de São Vicente, SP: uma réplica de um dos bondes que circulam no centro histórico de Santos.

Veja as fotos:

Um bonde em pleno quintal de uma casa em São Vicente, em foto da época do início da montagem

O bonde prefixo 095, e a foto da filha de Márcio

O bonde possui ligação elétrica, iluminação interna, letreiro e farol

Recentemente o bonde ganhou uma cobertura

Um belo exemplar de um bonde, em pleno playground na residência de Márcio
BONDE, E NO FUTURO, TRÓLEBUS!

Márcio nos conta que o bonde demorou um ano para ficar pronto e a cada dia recebe novas melhorias. A ideia dele é também construir um exemplar do trólebus italiano FIAT, como os que circularam em Santos de 1963 a 1996.
O problema é que os materiais custam caro e o trabalho requer espaço de tempo. Ele gostaria de obter algum tipo de patrocínio para poder empreender seus projetos.


OS BONDES DE SÃO VICENTE - UMA HISTÓRIA DE 90 ANOS

Curiosamente, o bonde construído por Márcio Lucena em São Vicente faz lembrar aos vicentinos que a cidade vivenciou a história dos bondes, assim como a vizinha Santos.
O primeiro bonde chegou a São Vicente em 1873, de tração animal, via praias, vindo de Santos - onde o sistema havia sido inaugurado 2 anos antes.
Posteriormente, Jacob Emmerich e Henrique Ablas criaram a linha de bondes via Matadouro, movido a vapor. Foi o chamado Tramway dos Emmerich ou Trem dos Emmerich.
A primeira linha de bondes elétricos de Santos também circulava em São Vicente, em 1909.

Os bondes em São Vicente encerrou sua história em 1964, quando a prefeitura vicentina solicitou ao SMTC de Santos para que os veículos não mais entrassem na cidade.

Contabilizando, foram 90 anos de bondes em São Vicente, uma história que não pode ser esquecida.

Parabéns ao Márcio Lucena, que em São Vicente recriou a história dos bondes na cidade.

Fotos: Márcio Alexandre de Lucena, que construiu o bonde - Contatos: lucenabonde@ig.com.br

Leia mais sobre os bondes de São Vicente:
http://www.novomilenio.inf.br/santos/trilho46.htm
http://www.novomilenio.inf.br/santos/trilho16.htm

domingo, 10 de julho de 2011

Prédio histórico de Santos abrigará USP na cidade

Um prédio ligado à história dos transportes coletivos de Santos irá sediar um campus avançado da USP - Universidade de São Paulo. A previsão é de que, já em 2012, tenham início as aulas do curso de graduação em engenharia de petróleo e o mestrado em sistemas logísticos.
De acordo com a universidade, a transferência do curso para o litoral se deve à necessidade de atender à demanda gerada pelas instalações da Petrobras na cidade para a exploração do petróleo do pré-sal na Bacia de Santos.

Além da antiga garagem dos bondes e trólebus, também o prédio da Escola Estadual Cesário Bastos - vizinho a garagem, também está no projeto.

Não é toda a garagem da antiga CSTC e sim somente o prédio que abrigou os bondes e posteriormente os trólebus, com entrada pela rua João Éboli e lateral com a rua Treze de Maio, na Vila Mathias.

HISTÓRIA

O conjunto de prédios da antiga "The City of Santos Improvements Company" abrigou o sistema de bondes de Santos, desde a época dos bondes puxados a burro, so século XIX.

O prédio principaL, na imagem abaixo, hoje abriga a oficina de bondes (do sistema turístico) e, conforme citado acima, não faz parte do novo campus da USP.

O prédio principal não fará parte do novo Campus da USP
Acima, uma montagem do prédio principal, o "antes e o depois". Ali começou a história dos bondes de Santos.  Hoje o prédio acima abriga as oficinas da CET - Companhia de Engenharia de Tráfego, incluindo a "fabrica de bondes", do sistema turístico.

Depois foram construídas outras garagens no terreno, para abrigar mais bondes, sendo que em um deles será implantado o campus da USP:

Lateral do prédio, na rua Treze de Maio
Prédio da rua João Éboli, no início da rua Júlio Conceição que abrigará o campus da USP

Nas imagens acima, feitas em 2007, já como garagem da prefeitura, note ainda o símbolo da CSTC, e se você observar na entrada ao lado, na parte superior ainda verá uma "curva" da fiação aérea dos trólebus, que já não entravam naquela garagem havia vários anos. A foto acima está disponível no site Panoramio http://www.panoramio.com/photo/5135586 e também no Google Earth, Google Maps e outros sites relacionados. No link você poderá ver o mapa da localização do prédio.

Abaixo, uma foto da época dos bondes,. com um caminhão de cabos e funcionários fazendo instalações.

Foto: Museu da Telefônica
E abaixo, os bondes podem ser vistos na porta, em 1950:

Foto reprodução do inventário da City, na época da transição para a Prefeitura

Em 1951 o acervo - prédios e bondes - da antiga City passaram a ser da prefeitura de Santos, através do Serviço Municipal de Transportes Coletivos, o SMTC. Já em 1963 foi inaugurado o serviço de trólebus, e a garagem acima então passou a abrigar os novos veículos. Os bondes passaram a ocupar outra parte da garagem. Os trólebus saíam por esta porta, e os bondes pela entrada principal.

Posteriormente os ônibus foram para uma outra garagem, no final da rua Rangel Pestana.

Em 1971 foi extinto o serviço de bondes, então a garagem foi ocupada somente pelos 50 trólebus.

Em 1976, o SMTC foi transformado em Companhia Santista de Transportes Coletivos. Os trólebus tiveram um declínio, mas em 1979 deu-se início a reforma de 25 trólebus, e aquisição de mais 7. Em 1988 mais 6 trólebus foram incorporados a frota.


Uma foto do local em 2003, que ainda mantinha uma parte da rede aérea dos trólebus.


Porém novamente os trólebus não foram tendo a devida atenção e o sistema reduziu a apenas 7 trólebus restantes. Em 1998 a Viação Piracibana assumiu os trólebus, e então os levou para a garagem do Jabaquara, com entrada pela a avenida Francisco Manuel.

No ano 2.000 os bondes voltaram a circular em Santos, e as antigas oficinas de bonde, no prédio principal voltaram a ter a sua função original. Já a garagem continuou a ser estacionamento de ônibus especiais da prefeitura, e até mesmo de um antigo trólebus FIAT, que no início dos anos 1990 virou biblioteca volante. Com o passar dos anos, o velho FIAT permaneceu "esquecido", sem uso e transformando-se em sucata. Em 2003 uma foto revelou para os aficcionados que o exemplar ainda existia e até pouco tempo atrás era possível ver por uma das entradas da garagem que será o futuro campus.

Vale lembrar deste antigo exemplar, que poderá ainda ter um futuro restauro, como ocorreu com os pouquíssimos bondes que restaram do fim em 1971. Então, deve-se estar atento a esse exemplar.


'O Astro', de volta após 34 anos


No início a ideia era de se anunciar uma macro-série. Depois, a mini-novela. Mas, a Globo decidiu assumir mesmo, que O Astro inaugura um novo horário de novelas da emissora, às 11 da noite.

Vale lembrar que no passado, novelas como O Bem Amado, Saramabaia, Nina, entre outras eram as chamadas "novelas das dez", quando a novela após do Jornal Nacional era a "novela das oito". Hoje, a "das oito" é "das nove", assumidamente. Esse deslocamento de horário em uma hora mais tarde deve-se a própria mudança de costumes da população.
Recentemente a Globo criou um horário de séries após o Programa do Jô, que não acaba antes da 1 hora da madrugada.

O ASTRO, UM GRANDE SUCESSO DO PASSADO, DE VOLTA


Francisco Cuoco na versão original de O Astro
Ainda hoje muitos quando ouvem a trilha da novela lembram-se da figura de Francisco Cuoco com um turbante na cabeça. Vamos relembrar a abertura de O Astro em 1977:



A música-tema é de João Bosco, "Bijuterias".

Na nova versão, o ator Rodrigo Lombardi encara o turbante e figurino de Herculano Quintanilha,  personagem que foi de Francisco Cuoco na trama de Janete Clair, que estreou em 6 de dezembro de 1977, às 8 da noite - o Jornal Nacional de então, começava às 19:40 e tinha cerca de 20 minutos de duração.
Rodrigo Lombardi e Francisco Cuoco (divulgação Rede Globo)

Na versão original, Herculano Quintanilha (vivido por Francisco Cuoco), foi preso quando descobriram que ele, ao lado do amigo Neco (Flávio Migliaccio na versão antiga, e agora interpretado por Humberto Martins), tinha dado o golpe em uma paróquia de uma cidade do interior. Neco, porém não foi preso e ficou com o dinheiro. Na nova versão o golpe é dado com o desvio do dinheiro da reforma da paróquia.

Na versão atual, cena de Herculano Quintanilha fugindo do linchamento após descobrirem que ele desviou dinheiro da paróquia

Anos depois, Herculano sai da prisão e passa a trabalhar como vidente numa churrascaria. Lá, ele reencontra o ex-cúmplice, e começa a persegui-lo para desmascarar e acabar com a vida de Neco.

Thiago Fragoso é Marcio: ideiais de São Francisco de Assis, na nova versão

Herculano também conhece Márcio (papel que foi de Tony Ramos, que na nova versão será interpretado por Thiago Fragoso), um dos herdeiros de Salomão Hayala (interpretado em 1977 pelo saudoso Dionísio Azevedo, vivido agora por Daniel Filho - que foi diretor na primeira versão). Após abdicar da fortuna de seu pai - numa cena inspirada em São Francisco de Assis, na qual ele se desfaz de suas roupas para viver como seu santo de devoção - Márcio é convencido por Herculano a voltar-se para os negócios da família, e ao assumir a empresa leva o ex-guru para trabalharem juntos.

Alline Moraes fará o papel de Lili, cunhada e empregada de Neco

Na nova versão, Carolina Ferraz vive o papel que foi de Dina Sfat. Alline Moraes será o papel que foi de Elizabeth Savalla.
Em O Astro 2011, haverá outros personagens e a novela promete efeitos especiais e rumos um pouco diferentes da trama escrita por Janete Clair.
Assim como na versão original, Salomão Hayala será morto. E a dúvida ficará no ar - a pergunta “Quem matou Salomão Hayala?”. Salomão terá o mesmo desfecho, mas quanto ao assassino, isso é segredo de estado (como disse Daniel Filho ao general Ernesto Geisel), dizem os autores da nova versão, Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro.

Francisco Cuoco, que foi "O Astro" em 1977/1978 agora é o misterioso Ferragus

E uma surpresa: o próprio Francisco Cuoco tem uma participação especial: ele será Ferragus, um velho homem que já está preso há quinze anos. É quem ensina a Herculano os segredos do ilusionismo, da magia, e os fundamentos teóricos da astrologia e do tarô. Assista a um video com Francisco Cuoco relembrando a primeira versão de O Astro e o novo personagem:



A série terá também no elenco atores como Daniel Filho, Regina Duarte, Fernanda Rodrigues, Carolina Ferraz, Guilhermina Guinle, entre outros. Veja um vídeo com os atores apresentando seus personagens:




COMO FICA A PROGRAMAÇÃO

A Novela das Onze deverá ser exibida quando não houver o Big Brother Brasil.

O Astro  será exibida de Terça a Sexta, com previsão para 60 capítulos - ou mais, de acordo com a audiência. A estreia é dia 12 de julho, terça-feira.

O horário de exibição varia, de acordo com o dia da semana. Na semana de estreia, estão previstos os seguintes horários:

Terça-feira - 23:00 - após Tapas e Beijos
Quarta-feira - 23:45 - após o Futebol
Quinta-feira - 23:15 - após A Grande Família
Sexta-feira - 23:25 - após o Globo Repórter

- A produção e transmissão é em alta-definição, nas praças onde estiver disponível o sinal HDTV
- A classificação indicativa é 16 anos, após as 23 horas.

Fotos: Divulgação/TV Globo. Os vídeos estão hospedados no site Youtube (abertura) e GLOBO.COM (depoimentos dos atores) e poderão ficar indisponíveis no futuro.

Veja mais no site oficial: oastro.globo.com

A mais paulista das avenidas, dizem.

Muitas opiniãos divergem sobre a frase-título da postagem. Afinal, a Avenida Paulista em São Paulo é mesmo a mais paulista das avenidas?

Mas, é um belo e até obrigatório passeio andar por ali. Vê se o progresso, os "arrojos" e, claro, não é a toa que aquela via, que fica num "espigão" - parte alta de São Paulo - acabou sendo o centro de manifestações e também um pólo de irradiação dos sinais de emissoras de rádio e televisão na capital paulista.

Aqui, o registro de algumas imagens, no feriado de 9 de Julho (apenas nos estado de São Paulo):

Sol forte, mas o frio predominando no inverno paulistano

Travessia na faixa, praticamente sincronizada

No cruzamento com a rua Augusta. Ao fundo, os arrojados arranha-céus, e os postes de alimentação, além das torres de rádio e tv.

Aqui, em destaque, dá para ver bem o sistema de iluminação e uma das torres da Paulista

Eu tinha publicado que esta seria a nova torre da Band, mas, agradeço ao Igor Rabelo (nos comentários abaixo), que me corrigiu. A torre na Band não é esta e sim a que está no site da emissora http://www.band.com.br/torre/

Estamos na avenida da Consolação, de onde se ve melhor a torre da foto acima

Cenas quase extintas: cavalo nas ruas da cidade

Lembro na minha infância que era muito comum ver pequenas carroças, com alimentos - verduras, frutas, sendo puxadas por cavalos.A carroça, repleta de produtos horti-fruti ia passando pelas ruas e avenidas, era uma maneira de estabelecer a venda direta - do produtor ao consumidor. E o cavalo, ou burro, era uma espécie de animal doméstico em algumas casas. E olha que não estou falando de uma cidade do interior, e sim, de Santos e São Vicente.

 O próprio bonde, nas duas cidades, durante quase 50 anos, foi puxado por burros - a chamada, na época, de tração animada. Com a chegada do bonde elétrico em 1909, aos poucos o animal foi substituído pela eletricidade, processo que levou cerca de uma década para se concretizar.


Nesta semana, em São Vicente, fiz uma volta ao passado: um cavalo é utilizado para puxar uma carrocinha com produtos de limpeza. Munido de um megafone o vendedor, e provável dono do animal, anuncia seus produtos.

Veja as fotos:

Lá vem a carroça com os produtos de limpeza. Note também o tipo de pavimentação da rua, hexagonal, comum também em outras cidades do litoral.


O cavalo lentamente carrega a carrocinha. O vendedor empunha um megafone.

domingo, 3 de julho de 2011

O Bonde e a homenagem ao Santos Futebol Clube

Um bonde com uma "roupa" especialmente preparada para homenagear o Santos Futebol Clube está circulando nas ruas santistas a partir deste final de semana.
O bonde de prefixo 40, que é original do antigo sistema que circulou em Santos até 1971 recebeu um novo desenho, em comemoração a recente conquista da Copa Libertadores da América.
Veja como ficou:
O bonde na Praça Barão do Rio Branco
O bonde em frente ao Convento do Carmo
Este blog é mantido parcialmente através de anúncios gerenciados pelo Google, UOL e Lomadee.